Dermatologista alerta para os riscos da exposição solar na infância

Dermatologista alerta para os riscos da exposição solar na infância

A radiação solar se acumula na pele ao longo dos anos e, por isso, especialistas chamam atenção para o risco da exposição ao sol na infância corrobora

Mercado de produtos orgânicos cresce e vira tendência no país
Soluções para os problemas de corrosão na indústria em Seminário
Transição capilar é um processo que começa de dentro para fora

A radiação solar se acumula na pele ao longo dos anos e, por isso, especialistas chamam atenção para o risco da exposição ao sol na infância corroborar para o surgimento de câncer da pele na fase adulta

O Brasil é um país de clima tropical e a exposição solar inicia-se já na infância e é nessa fase que os cuidados de proteção à pele devem ter prioridade. De acordo com a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), as crianças se expõem anualmente ao sol três vezes mais que os adultos, em razão das atividades ao ar livre. Essa exposição cumulativa durante os 20 primeiros anos de vida pode aumentar os riscos de desenvolvimento do câncer da pele na fase adulta.

A dermatologista da Medquimheo, Mary Lane Nemer, explica que a fase da infância e adolescência são as fases mais vulneráveis aos efeitos nocivos do sol. A prevenção é o caminho mais seguro para evitar o surgimento do câncer da pele, que, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), é o tipo mais frequente no país. “Durante a vida, a maior exposição solar acontece na infância e adolescência, por isso, é de suma importância os cuidados preventivos com a pele, como o uso da fotoproteção, não se expor ao sol das 10h às 16h, que é o horário de maior incidência UVB – fração da radiação solar mais relacionada ao desenvolvimento do câncer da pele. Essas atitudes diminuirão o risco de surgimento do câncer ao longo da vida”, alerta a médica.

Fatores de risco e formas de prevenção

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), usar protetores solares, durante os primeiros 18 anos de vida, tem demonstrado prevenir o surgimento do câncer da pele em até 78%. “O uso das medidas fotoprotetoras, se reproduzido desde a infância, oportuniza que se torne um hábito. Dessa forma, teremos adultos mais conscientes sobre a importância da fotoproteção e saudáveis, dermatologicamente”, ressalta a especialista.

Comentários

WordPress 0
DISQUS: 0
Justified Image Grid Plugin