Dietas restritivas podem prejudicar o emagrecimento saudável

Dietas restritivas podem prejudicar o emagrecimento saudável

Além de não ajudar na perda de peso, em alguns casos, eliminar grupos de alimentos gera vários sintomas Reduzir as calorias é a principal preocupação

Alegria e otimismo em 2019!
Dieta Mind: alimentação com foco em proteger o cérebro
Estratégias adotadas no setor logístico serão apresentadas no Caneg da ASES

Além de não ajudar na perda de peso, em alguns casos, eliminar grupos de alimentos gera vários sintomas

Reduzir as calorias é a principal preocupação de muitas pessoas que desejam emagrecer. Ainda mais com a pressão pelo tempo, não é difícil encontrar alguém que esteja tentando seguir alguma dieta restritiva indicada por um conhecido ou encontrada na internet. Porém, o que pode parecer benéfico, gerando um rápido resultado, na verdade, pode levar a uma queda do gasto energético e provocar uma ação contrária com a recuperação do peso em pouco tempo também, causando o já conhecido “efeito sanfona”.

De acordo com a nutricionista Fernanda Pignaton essas dietas contam calorias com foco em criar um “balanço energético negativo”, tendo maior preocupação com quantidade do que com a qualidade alimentar. “A baixa ingestão de energia, motivada por essas dietas restritivas, causa perda de massa magra – que nos confere o tônus muscular – e não só perda de gordura, que é o ideal para perder peso”, orienta.

É preciso lembrar que a composição corporal é muito mais importante do que o peso em si. E que de nada adianta perder peso sem qualidade. “Mesmo um paciente que precisa perder peso, a massa deve ser preservada para termos mais saúde e mais força para fazer as atividades físicas, aumentar o gasto calórico e a taxa metabólica. Inclusive, para garantir a manutenção de massa óssea e autonomia para as atividades simples do dia a dia, evitando lesões e problemas relacionados à baixa massa magra como a sarcolema”, explica a profissional.

O corpo humano utiliza as calorias dos alimentos para funcionar e, consequentemente, queimar gordura. Se há uma restrição na ingestão das calorias, o organismo entende que deve poupar para não faltar energia em momentos de emergência. Nesses casos, o corpo continua queimando gordura, mas a velocidade é reduzida, pois a restrição severa de calorias tende a deixar o metabolismo mais lento depois de relativamente pouco tempo. Por isso, tem gente que perde muito peso com dieta mais restritiva, mas, depois de um período, não consegue mais, já que o metabolismo fica extremamente lento, entrando então no chamado Efeito Platô.

A especialista orienta que o único segredo para reduzir o peso de forma saudável é com a mudança de hábitos e uma dieta realista que respeite seus gostos e seu estilo de vida. “É preciso praticar exercício físico regularmente para acelerar o gasto energético. Não basta contar calorias, a qualidade alimentar importa e é fundamental analisar cada caso e o objetivo para fazer a manutenção de peso, pois não existe uma mesma fórmula para todos”, recomenda.

Ela garante que até as festas e hábitos como saidinhas sociais devem ser contabilizadas na dieta de forma a não prejudicar o resultado e garantir a adesão do paciente a longo prazo.

“Eu sempre combino com o paciente o que ele não está disposto a abrir mão e juntos calculamos um dia na dieta que ele possa comer aquele alimento que tanto gosta, como risoto, pizza ou até mesmo beber uma taça de vinho ou uma cervejinha. Pois acredito que, quem tem uma dieta boa, pensada e feita com individualidade, não precisa “furar” e nem sair dela nunca”, esclarece Fernanda.

Comentários

WordPress 0
DISQUS: 0
Justified Image Grid Plugin