Especialista alerta para aumento nos casos de sarampo no Brasil

Devido a alta, o país perdeu, em 2019, a certificação de “país livre do vírus do sarampo”. Em 2020, a doença registrou cerca de 8.448 casos, de acordo

Governo do estado vai investir R$ 147 milhões em Educação na Serra
Serra mais conectada: praças já contam com internet de graça
Cirurgia das rugas é aposta para rejuvenescimento facial
Devido a alta, o país perdeu, em 2019, a certificação de “país livre do vírus do sarampo”. Em 2020, a doença registrou cerca de 8.448 casos, de acordo com comunicado emitido pelo Ministério da Saúde
 

Um dos principais responsáveis pela mortalidade infantil em países subdesenvolvidos, o sarampo é uma doença infecto-contagiosa causada pelo Morbillivirus. De alto contágio, a enfermidade é propagada por meio da saliva e outras secreções mucosas de indivíduos infectados para não imunes. Segundo o Boletim Epidemiológico de março de 2021, da Secretaria de Vigilância em Saúde, novos casos de sarampo foram registrados em 2018, atingindo a marca de 10.346 notificações – os últimos registros haviam sido em 2015. Em 2019, foram confirmados 20.901 casos. Os números acendem um alerta, haja vista a baixa imunização no país, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a média brasileira de cobertura vacinal da enfermidade caiu de 99%, entre 2010 e 2017, para 84% em 2018.

O médico intensivista Enrico Miguel Stucchi alerta para a importância da vacinação para que se evite alta nos casos e, consequentemente, óbitos pela doença. “O Brasil tem registrado baixa na adesão das campanhas vacinais. No ano de 2019, perdemos a certificação de ‘país livre do vírus do sarampo’, por conta da alta nos casos. Sempre fomos um exemplo mundial em campanhas de vacinação, a exemplo da poliomielite, erradicada desde 1994 por aqui. É mais que uma questão de engajamento, é sobre saúde e sobrevivência. As vacinas são seguras e isso é cientificamente comprovado. Vacinem-se e vacinem seus filhos”, afirma o diretor clínico do Cremasco Medicina Diagnóstica.

Os primeiros sintomas do sarampo são semelhantes a uma gripe ou resfriado: febre alta, tosse com secreção, conjuntivite, coriza, hipersensibilidade à luz, perda de apetite, também podem se manifestar dor de cabeça, vômitos, diarreia e dor nos músculos. Porém, após o período de 3 dias, é comum que surjam pequenas erupções avermelhadas na pele, que se espalham por todo corpo. A vacinação é a única forma segura de se prevenir do sarampo e pode ser aplicada em bebês a partir de 12 meses de idade.

Comentários

WordPress 0
DISQUS: 0
Justified Image Grid Plugin