Mulheres brilham no mercado de TI

Mulheres brilham no mercado de TI

CEO da Escolaweb, Cláudia Coelho Fuzer faz parte de movimento de mulheres que estão ocupando cada vez mais espaço no setor de tecnologia e dá dicas

Vice-governadora recebe representantes do projeto de adoção do ensino da Lei Maria da Penha nas escolas públicas do Estado
Tanque do Projeto TAMAR inaugura nova cobertura
Semana Prevenir envolve trabalhadores da indústria na prevenção de acidentes

CEO da Escolaweb, Cláudia Coelho Fuzer faz parte de movimento de mulheres que estão ocupando cada vez mais espaço no setor de tecnologia e dá dicas para quem se interessa por uma carreira no segmento

Elas têm só 20% dos empregos na área da tecnologia e ainda ganham 30% a menos do que homens em posições com o mesmo nível de formação e responsabilidades. Mas as mulheres na área de TI estão mudando esse quadro uma linha de código de cada vez.
Por mais difícil que pareça, o cenário deve apresentar melhoras – ainda que no longo prazo. O estudo CEO Gender Gap Analysis, realizado pela S&P Global Market Intelligence, mostra que um dos efeitos da atual transformação digital irá minimizar as diferenças de gênero no setor, com a força especial de segmentos como as mídias sociais e startups.
Parte desse movimento, e fundadora da startup capixaba de tecnologia e gestão escolar, Escolaweb, é a CEO Cláudia Coelho Fuzer. Na sede da empresa, em Guarapari, ela gerencia hoje 50 funcionários diretos, sem falar nos terceirizados. Desenvolvido inicialmente por ela, o produto é uma plataforma integrada de gestão escolar inovadora, um conjunto completo de ferramentas inteligentes para integrar os diversos setores da instituição de ensino, otimizando os processos e o dia a dia acadêmico. O software também permite que pais acompanhem o dia a dia escolar.

A CEO aponta o empreendedorismo no setor e a grande qualificação das mulheres como possíveis caminhos para quem se interessa pela área de tecnologia.

“O cenário é de escassez, mas também pode ser de oportunidades. Comecei apenas com uma mesa e uma programadora, que no caso era eu mesma. A ideia foi dando certo e foi surgindo a necessidade de contratar mais pessoas. Somente no início deste ano foram 17 contratações e estamos com mais algumas programadas até o final de 2019”, encoraja Cláudia.
Com a expansão em vista, as escolas e faculdades têm tomado algumas iniciativas de atração de meninas do ensino médio para cursos de tecnologia e de acolhimento delas nos cursos de graduação. Empresas de grande porte também têm aplicado políticas de diversidade que favorecem a contratação das poucas mulheres que sobreviveram ao mercado.
“Temos o esforço de colegas da TI, com grupos como o Women IT e comunidades online como a Pyladies. No vale do Silício, o movimento também é forte e uma série de organizações de tecnologia apostam em mulheres para comandar suas equipes”, pontua Cláudia.
Algumas das ações realizadas por esses grupos são palestras e treinamentos, além de mentorias e compartilhamento de conteúdo, com o objetivo de aumentar a participação feminina nesse universo majoritariamente masculino. O {reprograma}; o blog Mulheres na Computação; competições como a Technovation Challenge (exclusiva para meninas) e comunidades como a Pyladies são exemplos dessas inciativas.

Dicas para aproveitar o bom momento do mercado e crescer:
– Aprenda inglês
– Frequente cursos
– Acompanhe as novidades do setor e encare os concursos de programação como uma forma de fazer networking e testar as suas habilidades.
– Comece desenvolvendo o seu próprio site e aproveite para criar a sua identidade visual (com a ajuda de um designer).
– Teste as suas habilidades de desenvolver plugins para WordPress ou mesmo aplicativos para celular.

Comentários

WordPress 0
DISQUS:
Justified Image Grid Plugin