preservação do Teatro Carmélia e instalação de um polo do Ifes no Galpão do IBC

preservação do Teatro Carmélia e instalação de um polo do Ifes no Galpão do IBC

Em reunião organizada pela senadora Rose de Freitas (PODE-ES), o Governo Federal anunciou nesta quarta-feira (12) a cessão, entre 10 e 20 anos, do Cen

Fricote lança coleção Volta às Aulas
Presente especiais para todos os tipos de pais
Coronavírus: contação de histórias vai ser transmitida pela internet

Em reunião organizada pela senadora Rose de Freitas (PODE-ES), o Governo Federal anunciou nesta quarta-feira (12) a cessão, entre 10 e 20 anos, do Centro Cultural Carmélia, localizado no bairro Mário Cypreste, em Vitória, ao Governo do Estado. Informou ainda a alienação de parte do Galpão do IBC, também na capital, no bairro Jardim da Penha, para a instalação de um polo tecnológico do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

O encontro foi com o secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU), Fernando Bispo, que ressaltou ser uma decisão consolidada do Governo, bem como garantiu empenho para agilizar o processo, com reuniões administrativas já programadas para terem início na próxima semana, além da definição de um cronograma de estudo técnico. O reitor do Ifes, Jadir Pela, também participou da reunião online.

O anúncio desta quarta é resultado de diversas agendas da senadora Rose com a equipe econômica do Governo Federal. O Teatro Carmélia foi centro de debate e protestos no Estado nas últimas semanas, uma vez que, por conta de seu abandono, se tornaria um armazém de café. As classes artística e política se movimentaram, no entanto, e, a partir da intervenção da senadora, em parceria com o deputado federal Josias Da Vitória e com Governo Estadual, a União confirmou a cessão do espaço.

Segundo Fernando Bispo, é meta do Executivo “promover soluções” para recuperar patrimônios públicos abandonados ou em “uso muito precário”. “O imóvel federal sem uso se torna uma mazela no meio da cidade. É importante, então, que ele seja cedido para gerar emprego e promover desenvolvimento social”, afirmou.

“Gostaria de informar, dessa forma, que vamos iniciar o estudo (técnico) dentro do Galpão do IBC para darmos finalidade ao imóvel, termos a alienação de parte do imóvel para instalação de mais uma unidade do polo tecnológico do Ifes. Quanto ao Teatro Carmélia, estamos preparando, o mais rápido possível, a cessão não onerosa para o Espírito Santo, devolvendo à população a possibilidade de um desenvolvimento cultural. Este trabalho que a senhora iniciou, senadora, vai se materializar. E esta reunião é a pedra fundamental”, reforçou Bispo.

A senadora Rose agradeceu ao secretário pela atenção ao Espírito Santo e lamentou o fato de o teatro estar “parado, em vez de servir à cultura capixaba”. “Um teatro de portas fechadas é censura ao exercício da arte. Com a cessão do espaço, vocês (União) estão somando com o desenvolvimento do meu Estado e do País. Estou emocionada, estou agradecida”, disse a senadora, que ressaltou o fato de o governador Renato Casagrande ter selado o compromisso de investir no Carmélia para “o pleno funcionamento”.

O diretor do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo (IHGES), Manoel Goes Neto, lembrou que o segmento artístico e cultural “atravessa uma fase muito difícil” e, por isto, a importância da manutenção do Centro Cultural Carmélia. “Temos de agradecer muito à senadora. Estamos felizes por esse gesto importante em prol da cultura capixaba”.

Ifes –  Durante a reunião online, o reitor do Ifes, Jadir Pela, comemorou a possibilidade de ter um novo polo tecnológico e ressaltou ter enviado um estudo de implementação dessa nova unidade ao Governo Federal, o que foi confirmado por Fernando Bispo. Jadir comentou que a proposta está alinhada com o Executivo Federal.

“Estamos propondo inovação, empreendedorismo, ensino a distância, espaços que vão desenvolver o Espírito Santo. A senadora tem razão. Tem décadas que esse assunto do IBC é permanente. A todo momento se fala daquele espaço. Estamos falando de um bairro (Jardim da Penha) que é o segundo mais populoso da nossa capital. Isso vai trazer um benefício muito forte para a cidade e para o Ifes. É polo de inovação: estou falando de integração com empresas, com a comunidade. Estou falando de atividade de desenvolvimento científico e tecnológico”, finalizou.

 

Comentários

WordPress 0
DISQUS:
Justified Image Grid Plugin