preservação do Teatro Carmélia e instalação de um polo do Ifes no Galpão do IBC

preservação do Teatro Carmélia e instalação de um polo do Ifes no Galpão do IBC

Em reunião organizada pela senadora Rose de Freitas (PODE-ES), o Governo Federal anunciou nesta quarta-feira (12) a cessão, entre 10 e 20 anos, do Cen

Venda de produtos personalizados para arrecadar fundos em prol de novo hospital do câncer no Estado
Sexóloga capixaba lança segundo livro
ArcelorMittal Tubarão divulga ganhadoras do Prêmio Mulheres do Amanhã

Em reunião organizada pela senadora Rose de Freitas (PODE-ES), o Governo Federal anunciou nesta quarta-feira (12) a cessão, entre 10 e 20 anos, do Centro Cultural Carmélia, localizado no bairro Mário Cypreste, em Vitória, ao Governo do Estado. Informou ainda a alienação de parte do Galpão do IBC, também na capital, no bairro Jardim da Penha, para a instalação de um polo tecnológico do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

O encontro foi com o secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU), Fernando Bispo, que ressaltou ser uma decisão consolidada do Governo, bem como garantiu empenho para agilizar o processo, com reuniões administrativas já programadas para terem início na próxima semana, além da definição de um cronograma de estudo técnico. O reitor do Ifes, Jadir Pela, também participou da reunião online.

O anúncio desta quarta é resultado de diversas agendas da senadora Rose com a equipe econômica do Governo Federal. O Teatro Carmélia foi centro de debate e protestos no Estado nas últimas semanas, uma vez que, por conta de seu abandono, se tornaria um armazém de café. As classes artística e política se movimentaram, no entanto, e, a partir da intervenção da senadora, em parceria com o deputado federal Josias Da Vitória e com Governo Estadual, a União confirmou a cessão do espaço.

Segundo Fernando Bispo, é meta do Executivo “promover soluções” para recuperar patrimônios públicos abandonados ou em “uso muito precário”. “O imóvel federal sem uso se torna uma mazela no meio da cidade. É importante, então, que ele seja cedido para gerar emprego e promover desenvolvimento social”, afirmou.

“Gostaria de informar, dessa forma, que vamos iniciar o estudo (técnico) dentro do Galpão do IBC para darmos finalidade ao imóvel, termos a alienação de parte do imóvel para instalação de mais uma unidade do polo tecnológico do Ifes. Quanto ao Teatro Carmélia, estamos preparando, o mais rápido possível, a cessão não onerosa para o Espírito Santo, devolvendo à população a possibilidade de um desenvolvimento cultural. Este trabalho que a senhora iniciou, senadora, vai se materializar. E esta reunião é a pedra fundamental”, reforçou Bispo.

A senadora Rose agradeceu ao secretário pela atenção ao Espírito Santo e lamentou o fato de o teatro estar “parado, em vez de servir à cultura capixaba”. “Um teatro de portas fechadas é censura ao exercício da arte. Com a cessão do espaço, vocês (União) estão somando com o desenvolvimento do meu Estado e do País. Estou emocionada, estou agradecida”, disse a senadora, que ressaltou o fato de o governador Renato Casagrande ter selado o compromisso de investir no Carmélia para “o pleno funcionamento”.

O diretor do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo (IHGES), Manoel Goes Neto, lembrou que o segmento artístico e cultural “atravessa uma fase muito difícil” e, por isto, a importância da manutenção do Centro Cultural Carmélia. “Temos de agradecer muito à senadora. Estamos felizes por esse gesto importante em prol da cultura capixaba”.

Ifes –  Durante a reunião online, o reitor do Ifes, Jadir Pela, comemorou a possibilidade de ter um novo polo tecnológico e ressaltou ter enviado um estudo de implementação dessa nova unidade ao Governo Federal, o que foi confirmado por Fernando Bispo. Jadir comentou que a proposta está alinhada com o Executivo Federal.

“Estamos propondo inovação, empreendedorismo, ensino a distância, espaços que vão desenvolver o Espírito Santo. A senadora tem razão. Tem décadas que esse assunto do IBC é permanente. A todo momento se fala daquele espaço. Estamos falando de um bairro (Jardim da Penha) que é o segundo mais populoso da nossa capital. Isso vai trazer um benefício muito forte para a cidade e para o Ifes. É polo de inovação: estou falando de integração com empresas, com a comunidade. Estou falando de atividade de desenvolvimento científico e tecnológico”, finalizou.

 

Comentários

WordPress 0
DISQUS:
Justified Image Grid Plugin