Sinoreg-ES elege primeira presidente em 22 anos 

Sinoreg-ES elege primeira presidente em 22 anos 

Eleição da primeira mulher para a presidência do Sistema notarial e registral capixaba-Sinoreg-ES, Marisa de Deus Amado, consolida o comando feminino

Roupas do Verão que cabem para o Inverno
Prefeitura de Viana aciona Justiça para suspender a obra da Eco 101 no município
Mulher não é só samba no pé, também é ritmo na palma da mão

Eleição da primeira mulher para a presidência do Sistema notarial e registral capixaba-Sinoreg-ES, Marisa de Deus Amado, consolida o comando feminino já presente em quase metade dos 324 cartórios capixabas 

O Brasil está no Top 10 dos países com mais mulheres em cargos de liderança, segundo pesquisa divulgada na 15ª edição da International Business Report (IBR) – Women in Business. No Espírito Santo, os ventos do empoderamento feminino sopraram também no sistema notarial e registral: a tabeliã e registradora civil Marisa de Deus Amado foi eleita a primeira presidente do Sindicato dos Notários e Registradores do Espírito Santo (Sinoreg/ES), que desde a sua fundação em 1998, há 22 anos, nunca teve uma mulher no mais alto cargo de sua Diretoria.

A nova presidente, empossada no último dia 4, iniciou sua trajetória no sistema cartorário há quase 30 anos após aprovação em Concurso Público e, atualmente, é titular do Cartório de Registro Civil e Tabelionato do Distrito da Sede, na cidade de Serra.

A presença feminina entre os titulares das serventias extrajudiciais capixabas corresponde a mais de 45% do total: as mulheres respondem por 150 dos 324 cartórios. Parte dessa mudança é garantida por meio da modernização do sistema notarial e da instituição de concursos públicos, sendo o último realizado em 2013.

A tabeliã Paula Mafra, titular do cartório de Registro Civil da Sede da Comarca de Venda Nova do Imigrante, relata que a cultura do machismo é algo ainda presente no segmento, porém, vem mudando aos poucos. “Não é incomum ouvirmos de clientes ‘chama o dono do cartório por favor, quero falar com ele’. Mas isso começou a mudar com o concurso público, que proporcionou a chance de democratizar a entrada das mulheres no sistema registral e notarial, profissão antes majoritariamente masculina. No meu concurso mesmo, Edital de 2013, as 3 primeiras colocadas foram mulheres, o que mostra que estamos mais que aptas a contribuir e fortalecer a atividade”, destaca.

Paula lembra que as mulheres compõem não só quase metade dos delegatários no ES, mas a maioria nas faculdades de Direito. “Apesar da composição feminina nas bases das profissões jurídicas estar crescendo ao longo dos anos, ainda existe uma grande desigualdade nas posições de poder e decisão. Estávamos presentes, mas não representadas. A eleição da primeira mulher presidente do Sinoreg-ES é um grande passo para a democratização da profissão no Espírito Santo”, avalia.

No Espírito Santo, a maioria das tabeliãs são responsáveis por unidades de Tabelionato de Notas, onde podem ser registrados documentos como escrituras, procurações, testamentos, reconhecimento de firma, autenticação de cópias, inventários e outros documentos; e de Registro Civil, que oficializa o registro e emissão de certidão de nascimento, casamento e óbito, acordos pré-nupciais, mudanças no nome ou sobrenome de pessoas, reconhecimento de casos de paternidade, atestação das opções de nacionalidade, averbações e anotações, emancipação de menores de idade por seus pais ou pelo juiz.

Comentários

WordPress 0
DISQUS: 0
Justified Image Grid Plugin