Transição capilar é um processo que começa de dentro para fora

Transição capilar é um processo que começa de dentro para fora

As etapas da transição capilar são facilmente perceptíveis aos olhos, no entanto, a transformação começa antes mesmo do início do tratamento e acontec

ARTIGO « Tempo livre como aliado para descobrir a nossa essência
68 terrenos em Anchieta serão leiloados nesta quarta-feira (20)
Viradão Vitória: Casa Porto recebe mercado, performance e bandas novas

As etapas da transição capilar são facilmente perceptíveis aos olhos, no entanto, a transformação começa antes mesmo do início do tratamento e acontece de dentro para fora. É assim que a tricologista Cristal Bastos descreve o processo de quem decide abandonar os alisamentos à base de química para dar lugar ao seu cabelo natural, que pode ser ondulado, cacheado ou crespo. Segundo ela, essa tomada de decisão aumentou durante a pandemia.

“O desejo de passar pela transição capilar é como se fosse uma sementinha que é plantada no íntimo de cada um e vai expandindo, florescendo do lado do fora, pois, a mudança não é apenas dos fios. Ninguém sai de uma transição da mesma maneira que entrou. É um olhar para dentro de si”, afirma a especialista, que já passou pela transição e repudia qualquer imposição ao cabelo, seja a ditadura do liso ou a pressão em aceitar o cabelo natural.

Ela explica que o cabelo em transição apresenta duas texturas: os fios alisados pela química e a raiz natural. Ou seja, as pontas ficam mais lisas do que o restante dos fios. Esse período de indefinição, segundo ela, é também o mais difícil porque mexe com a autoestima feminina e pode durar até três anos.

Vale ressaltar que a transição só acaba quando os cabelos estão totalmente naturais, sem resquícios de química. Para isso, é necessário cortá-los. Isso não significa um corte radical que deixa os fios mais curtos. Mas aparar as pontinhas aos poucos é essencial para que os cachinhos cresçam saudáveis. Alguns produtos podem ajudar a acelerar o processo.

“Por meio da avaliação capilar, consigo orientar o uso de produtos que amenizam as diferenças de texturas, estimulam o crescimento dos fios e ajudam a fixar os cachos, tornando mais rápida a transição. É o caso do Blend de óleos, que nutre tanto os novos fios como os que ainda possuem química, que são mais ressecados, rígidos e quebradiços”, avalia Cristal Bastos. Outra forma de lidar com as duas texturas do cabelo é investindo em penteados e acessórios.

Famosas aderem a transição na pandemia

Recentemente, a atriz Juliana Paes e a apresentadora Maísa resolveram assumir seus cachos e compartilharam parte das etapas nas redes sociais. Em carta aberta no Instagram, Maísa escreveu um texto direcionado ao próprio cabelo, que representa bem o sentimento de mudança da transição. “Eu te quero de volta, do seu jeitinho, eu juro que eu vou tentar te amar do jeito que você merece. Te aceito de volta”, disse.

“Certo dia, durante a quarentena, eu me olhei no espelho e pensei: ‘Gente, esse é o meu cabelo’, e comecei a achar bonito”, afirmou Juliana Paes em entrevista ao programa “Saia Justa” do GNT. Ela descreveu a nova fase assim: “É muito doido, né, quando você descobre o seu cabelo. Agora posso ser eu”.

Cristal acredita que a pandemia da Covid-19 trouxe uma reflexão mais profunda sobre várias questões, incluindo os fios. Em razão disso, nos últimos seis meses, aumentou o número de mulheres que foram em busca de atendimento em sua clínica homônima, na Praia do Canto, a fim de iniciar a transição capilar.

“Se você tem vontade de assumir os seus fios naturais, a primeira coisa que eu digo é: não tenha medo! Dê uma chance para a transição e aprenda a amar o processo. Cada etapa será cheia de descobertas sobre o seu cabelo e também sobre si mesma”, aconselha.

Comentários

WordPress 0
DISQUS: 0
Justified Image Grid Plugin